• Janeiro Natural

Inaugura primeira fábrica de carne cultivada em laboratório do mundo


A empresa israelense de biotecnologia, Future Meat, inaugurou a primeira fábrica de carne cultivada em laboratório do mundo. A fábrica, localizada em Israel, é considerada um marco histórico e pode mudar os rumos do consumo de carne animal.


A capacidade de produção é de 500kg de carne por dia, uma quantidade muito superior, quando comparada à produção de 3 anos atrás. As carnes produzidas são de frango, porco e cordeiro. A produção de carne bovina começará em breve.

Com o aumento na capacidade de produção, os custos começam a cair. Hoje, o peito de frango produzido em laboratório tem o custo menor que US$10, valor mil vezes menor que o visto há 3 anos.

Mesmo não sendo um valor baixo ainda, a empresa diz que o “objetivo é tornar a carne cultivada acessível para todos em muitos países. Nós queremos manter uma produção com alimentos deliciosos que sejam saudáveis ​​e, ao mesmo tempo, sustentáveis. Isso ajudará a garantir um futuro melhor para as próximas gerações”, afirma o CEO da Future Meat, Rom Kshuk.



De onde vem a carne?

As carnes produzidas em laboratório são idênticas às consumidas hoje. Para isso, a empresa coleta a célula animal uma única vez e pode reproduzi-la infinitamente, sem precisar recorrer ao animal novamente.

A empresa não explicou como foi retirada essa célula do animal, o que, para veganos, pode ser um problema.


A carne cultivada gera 80% menos emissões de gases do efeito estufa, usa 99% menos terra e 96% menos água que a produzida pela pecuária hoje. Também não possui aditivos químicos, como remédios para conter as doenças causadas pelo ambiente impróprio ao qual os animais estão expostos.


Regulamentação

Para abrir novas fábricas fora de Israel, a empresa entrou com um processo de regulamentação em vários países e precisa aguardar a conclusão em cada governo. A carne está prevista para chegar às prateleiras dos Estados Unidos em meados de 2022.


Estamos nos afastando cada dia mais do consumo de carne, seja por empatia pelos animais que sofrem em ambientes inapropriados, pelo meio ambiente ou pela própria saúde.

A carne de laboratório entra como uma ótima alternativa para quem não deseja interromper o consumo de carne.

Na questão do veganismo, muito vai ser discutido ainda, mas, de forma nenhuma, devemos torcer contra a tecnologia que livrará os animais de tanto sofrimento.

Como exemplo, a empresa diz que com a produção de hoje é o equivalente a salvar 30 vacas por mês ou 100 frangos a cada duas semanas. Isso, usando um biorreator no tamanho de uma geladeira padrão.




César Janeiro Groke

Fundador da empresa Janeiro Natural


Contato

Facebook

Instagram

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo